16/Dez
Paulo de Frontin - RJ
ENTRADA FRANCA

O festival

O “Festival Arrumação – Um Rio de Arte” chegou ao Jardim Ecológico Uaná Etê, situado na região do Vale do Café, cidade de Paulo de Frontin – RJ, e promoveu o intercâmbio entre representantes de diversas gerações que preservam as raízes culturais do país. Em cena, apresentações de música, tudo por meio de uma prosa tomada de bom-humor e irreverência, mediada pelo menestrel Saulo Laranjeira.

Gravado ao vivo, o Festival cria um acervo único com o objetivo de fortalecer e impulsionar, junto ao imaginário popular, a trajetória de artistas, públicos e instituições envolvidas direta e indiretamente na realização do projeto. Os encontros serão exibidos em forma de série na Rede Minas e TV ALERJ em 2023.

Direto de Belo Horizonte veio o ator, apresentador, compositor e cantor mineiro Saulo Laranjeira, especialmente para conduzir a apresentação do festival. Os convidados são a harpista e compositora Cristina Braga e o cantor e compositor Nico Resende. O protagonismo da cidade e região ficou com Fatinha do Jongo, Paulo Brasileiro, Cosme Caxambu e Maks Salles.

Foi um sucesso!

Breve release de cada artista

Cristina Braga

Harpista pioneira, colocou a harpa em outro patamar no Brasil transitando livremente pela música popular e pela clássica. 1a Harpista do Theatro Municipal do Rio de Janeiro no período 1993-2016. Cristina Braga possui extensa discografia com mais de 17 albuns. Como um membro do quinteto instrumental Opus 5, Braga gravou CDs que foram lançados internacionalmente. Em 1992, ela ganhou o concurso Medalha de Ouro, promovido pela Universidade do Rio de Janeiro (UFRJ). Em 1995, Braga participou no Songbook Instrumental Antônio Carlos Jobim, interpretando com Mário Sève a música “Deus e o Diabo na Terra”, de Tom Jobim.  Cristina Braga também acompanhou, em shows e gravações de artistas como Lenine , Titãs, Ana Carolina, Nara Leão, Ângela Maria, Moreira da Silva, Quarteto em Cy, Zizi Possi, , entre outros

Nico Rezende

Cantor, compositor e arranjador, Nico Rezende estudou violão, piano e técnica de sintetizadores. Iniciou sua carreira tocando em orquestras, com as quais trabalhou em bailes pelo interior do Brasil. Em 1983, Nico se muda para o Rio de Janeiro, onde passa a atuar como tecladista na banda do cantor Ritchie. Mais tarde, assina arranjos para discos de Marina Lima, Gal Costa, Roberto Carlos, Lulu Santos, Beto Guedes, Simone, Zizi Possi, Cazuza, Barão Vermelho, Erasmo Carlos, Kiko Zambianchi e Dalto, entre outros.

Cosme Caxambú

Avô da Hellena, é liderança e mestre  jongueiro. Atualmente está como presidente da Associação Sementes D’ África.

Nascido em Barra do Piraí, vive a cultura do jongo/caxambu desde os 13 anos e aprendeu com Tia Maria a tocar o tambor candongueiro.  

É responsável por manter a raiz e a tradição do Caxambu de Barra levando adiante o legado deixado pelos mestres para as futuras gerações.

Fatinha do Jongo

Coordenadora do Grupo Jongo de Pinheiral, professora,  Jongueira e Ativista da Cultura Popular, residente na cidade de Pinheiral onde desenvolve atividades pela preservação   , história, tradição da Cultura Afro da manifestação do jongo do Vale do Café.

Luis Barbalho

 

Maks

Nascido em 24/02/1980, pisciano sonhador, emotivo, filho adotivo, negro com orgulho e pela causa e maluco por música. Trabalhei num abatedouro de frango de 1996 até 2000 e foi lá (cantando no ouvido dos meus companheiros de trabalho) que uma pessoa me disse que existia um grupo musical a procura de um vocalista. Dava-se assim o início da minha carreira oficialmente! INTUISAMBA. Com uma mochila nas costas foi para São Paulo, no escuro, sem ajuda, sem conhecidos e após muitos bares, fui levado pra Suíça, de lá pra Itália, França, Holanda…Estados Unidos e foi nesse último que minha carreira se concretizou de vez, através do olhar clínico do senhor Wallace leite. De volta ao Brasil por problemas familiares e uma pandemia inexplicável, sigo a vida a cada nota, a cada sorriso a cada like…. esse sou eu, ou uma pequena parte de mim

Luis Barbalho

Nascido no dia 13 de setembro de 2002 em Vassouras, RJ,  é o mais velho de uma família de 4 irmãos. Seu sobre nome vem por parte de sua mãe, onde usa como nome artístico “Paulo brasileiro”.

Estuda música desde dos 13 anos de idade em sua própria cidade, numa escola de música chamada PIM “programa integração pela música”, onde se apaixonou pela flauta transversal. Em 2019, começou a trabalhar em um Jardim Ecológico chamado UANA ETÊ dirigido por Cristina Braga e Ricardo Medeiros, com sua flauta encanta os visitantes e tornam seus passeios ainda melhores.